prosa

histórias sobre cerveja e mulheres

histórias sobre cerveja e mulheres

Depois de completar a qualificação do doutorado, meu descanso mental foi pensar em textos assim. O que adoro, não dá nem para esconder, hehe.   Leia na íntegra no Blogueiras Feministas: “Mas, Ana, não é um negócio que só tem ...

Read more

para uma primavera

para uma primavera

A primavera literária durante as Satyrianas 2012 também foi ferida de flores aqui por dentro [+ post da Jeanne aqui]. Coisas de gente setembrina como eu. Provavelmente a Mai é uma das que mais entendeu o que senti. Há certos ...

Read more

crônicas passarinhanas

Ainda no mesmo assunto, comentei com a vizinha próxima sobre a estranha mania do pássaro em bater, sem nenhuma hesitação, a cabeça com tudo na janela  . – Ah, ele aprendeu com a Dirce. – disse a vizinha com convicção ...

Read more

crônicas de passarinhos

crônicas de passarinhos

I. Tava bolando este texto antes de dormir. Aí lembrei de dois periquitos que tinha quando adolescente – a Chiquita e o Zezinho. Ganhei de meu tio. Um desconsolo isso de passarinho na gaiola. Amava muito eles. Um dia, por ...

Read more

do brasileirês e moçambicanês

do brasileirês e moçambicanês

. – O que eu quiser? Que todos sejam felizes! Ouço pela enésima vez a gravação e continuo rindo. Há piadinhas que nunca perdem o viço. Ainda mais em um sotaque gostoso. Acho que o João Paulo Borges Coelho conquistou ...

Read more

18h

18h

Podia dizer que é a poluição, mas é outra coisa que faz com que meus olhos fiquem assim, bolo no céu da tarde de tristes. O céu nem está tão poluído, posso enxergar daqui a nova estrela. E nem estou olhando para cima. Na realidade, nem estou sequer olhando. A batedeira trepida aqui por dentro.

Read more

a cidade mais feia do mundo

a cidade mais feia do mundo

Talvez admitir ao leitor a tarefa da criação literária seja a única verdade possível. Aqui só há espaços em branco. O contrário seria uma página negra com letras em branco e isso é o céu estrelado. Eu vejo invariavelmente uma tela branca. O coração diz que há possibilidades em algum lugar. Enfim, por isso escrevo missivas aos fill-in-the-blanks.

Read more

do paraíso à consolação

do paraíso à consolação

Sobre a arte de pegar ônibus em São Paulo. Perus pode ser uma sina ou acaso. E Lapa são milhões. É um aguadeiro de gírias, números, cores, lapa cê, lapa erre, pq pegar ônibus também é uma guerra & linguagem cifrada.

Read more
UA-4597471-4