Ano: 2012

décio

Lembro . Como se fosse hoje minha primeira aula a respeito de concretismo. A professora, pouco empolgada com o tema, nos passou um exercício – compor um poema concreto. Fiz uma recriação tosca daquele exemplo batido de aliteração do Cruz e Sousa (e puxa, hoje acho tão bonito o Violões que choram…), eram palavras em […]

a bienal, um podcast

“vem, presta atenção que a água, em sua verdade, nunca é doce : antes é o gosto de mar que amarga as horas que aninha as carnes à salga, que nos embala num marulho sujo”. . “Mal me reconheço, mas a voz é idêntica, abafada, microfonada, aqui já não sou“ . – trechos de A […]

convite

: no dia do meu 33º aniversário, 14 de setembro, sexta-feira agora, estarei na Bienal. O motivo é dos bonitos – há uma rádio dentro da Bienal, a Mobile Radio, “uma estação temporária de radio arte com transmissão 24 horas por dia, do dia 3 de Setembro a 9 de Dezembro 2012, diretamente da 30a […]

especial sobre lília momplé

Tenho sempre imenso prazer em ler a Revista Literatas – Revista de Literatura Moçambicana e Lusófona. Quando leio o editorial, ouço a voz do Eduardo Quive, quando leio os poemas, ouço a voz do Mauro Brito, lembro do Izidro e por aí vamos, de volta a esta Maputo ensolarada. O número atual é dedicado à […]

do brasileirês e moçambicanês

. – O que eu quiser? Que todos sejam felizes! Ouço pela enésima vez a gravação e continuo rindo. Há piadinhas que nunca perdem o viço. Ainda mais em um sotaque gostoso. Acho que o João Paulo Borges Coelho conquistou aquela parte difícil que temos aqui dentro: a possibilidade de admirar alguém. Percorro o menu […]

Rolar para o topo