Autor: anarusche

Donizete Galvão

O calor sem vento, a tarde sem chuva. Na pequena correria, entre chegar e já sair, tento dizer à minha mãe. Tem coisas que não dá para não contar para a mãe, fica ali martelando o peito. Sabe o Donizete? Minha mãe responde, claro. E então lhe conto. Minha mãe fica muito mais do que […]

bertolt brecht, alguns links

Como alguns estão a par, o querido Flávio Vassoler e eu ministramos um curso de extensão universitária, concedido pelo Centro Ángel Rama na FFLCH-USP. Estamos bem animados, como a turma pode atestar. Ontem a aula versou sobre Bertolt Brecht (1898 —1956) e a peça “A alma boa de Setsuan” (“Der gute Mensch von Sezuan“). Prometi […]

décio

Lembro . Como se fosse hoje minha primeira aula a respeito de concretismo. A professora, pouco empolgada com o tema, nos passou um exercício – compor um poema concreto. Fiz uma recriação tosca daquele exemplo batido de aliteração do Cruz e Sousa (e puxa, hoje acho tão bonito o Violões que choram…), eram palavras em […]

Rolar para o topo